Edição Atual

h

h

h

CLIQUE NA IMAGEM E LEIA A EDIÇÃO COMPLETA.
N. 17   |   20185555555555

55555

g

Amanhã não vai ser outro dia..?

Por Bernardo G.B. Nogueira

55555555

O pensador Slavoj Zizeck nos ensina em seu livro “Violência”, que existem ao menos dois tipos distintos de violência; uma subjetiva e outra objetiva, aquela, a que atua diretamente na transformação do espaço, na mudança da cena, abalando a ordem “normal” das coisas; a outra violência manifesta-se de maneira a manter aquilo que é chamado “normalidade”, ou seja, uma violência que “não aparece”, ou, em melhores palavras, ela mantém a cena “normal”. Cuida para que a vida transcorra na maior “normalidade” possível. Bertolt Brecht resumira essa distinção com uma célebre frase: “Do rio que tudo arrasta se diz que é violento. Mas ninguém diz violentas as margens que o comprimem. ” Haverá violência sempre que houver vida. Ou o nascimento não se dá pela transposição violenta e bela…

Belo Horizonte – outono, 2018.